Adorador


"Seja sábio, meu filho, e alegre meu coração, para que eu possa dar uma resposta àquele que me desafia" Provérbios 27:11

A cada dia que passa venho me dedicando a praticar a palavra de Cristo e tê-la como propósito de vida. Dessa forma, aprendi e aprendo que praticar não é querer, ter, poder e sim, verdadeiramente, sermos reais adoradores.

Mas o que é ser real adorador?

Adorar a um único e fiel Salvador não é conduta para um dia, mas diária.

Adorar não é viver na teologia da prosperidade, mas saber que Deus é Deus e sendo E´le soberano sobre todas as coisas o que nos resta, pela misericórdia que nos revela, é acreditarmos que se podemos a cada dia superar adversidades.

A bandeja carregada de tentações estão a todo tempo sendo oferecidas pelos garçons do inferno e no mundo, como numa festa, são oferecidas constantemente e, preste atenção, muito embora tenhamos convicção que Cristo está com o povo cristão, por vezes, sinceramente, nos servimos dessa bandeja e daí o que até então era tentação se torna pecado.

Ao brindarmos com o maligno nos entregamos e abrimos a nossa defesa. Sim, ficamos expostos, mas essa exposição é tão voraz que se permitirmos a exposição continua certamente nos conduzirá a morte.

Para exemplificarmos a nossa contextualização, podemos pensar assim:

Como são servidas as porções demoníacas trazidas em bandejas? São servidas na oportunidade que temos quando a tentação surge. Seja num momento de fúria, oportunizando que a ira invada seu interior, transformando-o num ser, por vezes, irracional, ofensor, violador da dignidade de outrem, esbravejador, humilhador e desumano; seja num momento de desejo sexual, ao trairmos a pessoa que amamos ou até mesmo trairmos a Deus, ofendendo os seus preceitos éticos e cristãos; seja na oportunidade de uma mentira, por menor que seja; seja na ocasião de não ofertarmos o perdão aquele que nos tem ofendido etc.

E qual o resultado dessa traição? O suicídio espiritual.

Judas ao trair Jesus carregou o peso da traição e pesada o suficiente para praticar o suicídio. Assim, nós também agimos quando deixamos a palavra de lado e passamos a evitá-la; praticamos o suicídio espiritual.

Nesse sentido, como sabemos o certo, pela Palavra, devemos pedir a Deus o discernimento e a capacidade de interpretarmos ou, ainda, simplesmente, aceitarmos, as razões pelas quais passamos por adversidades.

Mas o porquê desse texto?

Claro que para tudo há uma explicação, todavia estamos preparados para aceitarmos as explicações que Cristo nos revela?

Queremos e queremos e queremos e a Deus pedimos, pedimos e pedimos. Deus seria isso? Só isso? Um servidor?

Estamos mudando os papéis da razão de nossa existência.

Queremos o tudo, mas nada sabemos ou até mesmo queremos doar. Não somos servidos. Devemos servir. E será pela misericórdia do seu amor, justificados pelo perdão, que seremos glorificados para o santo nome de Deus.

O cristianismo revelado na palavra santa nada tem a ver com as pregações atuais.

O chamariz de adoradores destacado por placas de ministérios que se intitulam "o ministério da prosperidade" impressionam pelo alto número de fiéis, mas uma nação inteira caminha para a perdição.

São milhares de almas que estão perdidas e vendidas ao ego, desejo carnal, bens materiais, ambição, promiscuidade, fornicação, mentira, gula, enfim, número infinito de verbetes que nos distancia da verdadeira fé cristã.

Saiba servir a um propósito Santo. O mundo está necessitando de amor. A missão que Cristo nos revela é restauradora e a herança prometida, assim como descrito em Isaías 54 nos trará paz abundante.

Que seu dia seja próspero e sincero na presença de Deus. Amém.


18 visualizações

Fique por dentro de tudo que acontece no Passiani na Rede. Inscreva-se e receba nossos periódicos.

Por favor, insira um email válido

  • Facebook Social Icon
Curta meu Podcast. Acesse e receba os áudios
podcasts.jpeg