A FÉ realmente nos torna capaz?


A fé move montanhas. Essa metáfora é bem utilizada no dia a dia. Mas, verdadeiramente, sabemos o que é a fé? Como ela se manifesta? Do que nos torna capaz? Tratativas apostólicas estão somente preocupadas com a lei e discutem, corriqueiramente, a questão sobre a fé. Até mesmo a própria ciência objetiva cientificamente explicar a força que a fé tem e, muito embora não tenha confessado, pela ausência de humildade, cientistas renomados não descartam a hipótese que a fé produz inexoravelmente resultado saudável para aquele que a possui como fonte de força.

A filosofia visa explicar com argumentos humanos no que consiste a fé do homem.

Estudos foram realizados dos tempos primórdios aos dias atuais e notamos que o homem muito se interessa pelo fascinante tema, afinal são estudos e estudos, convenções, relatórios, pesquisas dos antepassados, crenças filosóficas, enfim, a busca incansável de uma resposta: O que é a fé e como se manifesta?

Li, há tempos atrás, um livro que tratava da fé, porém de forma contrária ao Evangelho. O conteúdo estudado pelo autor, no título de o segredo, teoricamente, diz que ao acreditarmos e aplicarmos tal força interior no que consiste o mundo exterior, atrairemos o desejado, ou seja, essa teoria quer explicar que a fé, simbolicamente, nada mais é que o domínio sobre a técnica de uma troca entre a vontade do homem e a movimentação do mundo a seu favor, assim denominada, a lei da atração, desejo versus resultado.

Mas será isso mesmo? Será a fé fonte da natureza humana que move o mundo para realização dos nossos desejos? Temos tal poder físico?

A minha fonte de inspiração é a Palavra de Deus. É nela que me abasteço e consigo, sem esforço, mas empenhado na minha crença cristã, desvendar mistérios quais a ciência, propriamente dita, até então não soube explicar.

Teorias trazidas pelo homem não podem abalar a fé do cristão. Ele deve estar empenhado na riqueza do reino de Deus. Em Tiago 2:1 diz que “Meus irmão, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas”.

Digo isso, pois já ouvi relatos que a religião tem de andar com a ciência, pois assim como Tomé, o homem só acredita se ver.

Mas qual é a certeza que deve dominar o coração do homem? Tal certeza deve ser idêntica a certeza com que Paulo teve, pois mesmo encarcerado pela guarda pretoriana estava convicto que Deus estava ali com ele e se preso estava, maior era a sua fé, pois sabe que lá foi posto por defesa ao evangelho.[1]

É na provação que a fé se testifica. Seria como a vida de um estudante. Enquanto nos bancos de uma universidade ele se prepara para a carreira escolhida. Estuda, se esforça e se dedica, mas desconhece a vivência prática que existe fora da academia.

O tempo passa e ele evolui. Logo se forma, diploma na mão, pronto para o mercado de trabalho. Pronto? Pois bem. Muito embora tenha estudado, mesmo que seja com total afinco e determinação, o estudante quando ingressa no mercado de trabalho se depara com informações quais lhe proporcionam medos, incertezas e insegurança, mas sabe tão bem que diante da teoria estudada tem condições de enfrenta-las e agora que colocado a prova se empenha, vence dia a dia, cada obstáculo que lhe é apresentado.

A pergunta é: Assim como o estudante, o cristão que tem fé tem a certeza que pode superar obstáculos ou a certeza que não existirão obstáculos em sua vida?

A resposta é crucial para evoluirmos na compreensão da fé. Daí não sou eu que posso responder, mas a Palavra do Senhor é clara “Ao homem pertencem os planos do coração, mas a resposta da língua é do Senhor.”[2]

Então para explicarmos a fé podemos obter a resposta na Palavra santa. Lá no livro de Mateus Jesus é procurado por um centurião qual lhe pede a cura para um criado que estava em sua casa, paralitico e horrivelmente atormentado. Na ocasião, Jesus se prontifica seguir com o centurião até sua casa, mas este se diz indigno de recebe-lo em sua morada e declara a Jesus que se somente determinar ao seu servo qual precisa da cura, mesmo distante, será curado. O centurião fez a seguinte comparação: “Pois também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele faz. Jesus, ouvindo isso, admirou-se, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que a ninguém encontrei em Israel com tamanha fé”.[3]

Assim como o centurião agiu, devemos entender que fé está em nossa autoridade em o nome de Jesus. Quando estamos servindo a Deus, dentro dos seus propósitos, devemos determinar com fé a realização de um milagre e pela misericórdia de Deus, justificados pois em Jesus Cristo, teremos a graça e benção alcançada.

A fé se define pela autoridade em nome de Jesus e que o Senhor nosso Deus esteja entre nós com alegria. A graça de Deus Pai seja nossa fonte de inspiração. Amém.

[1] Filipenses 1:12-18

[2] Provérbios 16:1

[3] Mateus 8:5-13


Fique por dentro de tudo que acontece no Passiani na Rede. Inscreva-se e receba nossos periódicos.

Por favor, insira um email válido

  • Facebook Social Icon
Curta meu Podcast. Acesse e receba os áudios
podcasts.jpeg